domingo, 11 de dezembro de 2011

Paradoxo ambulante

Estou com sono, mas não quero dormir. 
Com fome, mas não quero comer. 
Cansada, mas não quero me deitar. 
Com tédio, mas sem vontade de me mover. 
Triste, e ao mesmo tempo feliz.




SOU UM PARADOXO AMBULANTE.

domingo, 4 de dezembro de 2011

Tanto tempo sem escrever... já nem me lembrava mais. De uns tempos pra cá, mais precisamente 1 ano, minhas perspectivas mudaram demais. EU mudei demais. Sinto outras coisas, penso em outras coisas, falo outras coisas. É preciso mudar, e o tempo pra isso é agora.




Não vou mentir, passei tanto tempo longe deste blog por falta de tempo sim, por falta de oportunidade sim... mas também, - e esse é o principal motivo - por falta de inspiração. Por achar que tudo o que eu já escrevi não seja o suficiente para dizer tudo o que preciso dizer. Não sei... às vezes nem ao menos sei o que é que precisa ser dito, apenas sei que não posso ficar calada.




Senti tanta saudade... Ah! Que saudade descomunal me invadiu! Tomou minhas noites de sono, aprofundou em meus sonhos, me tirou a paz. Demorou, mas acho que finalmente estou me livrando dela, ou pelo menos, me acostumando a viver em sua companhia. É... a gente se acostuma, se adapta. Somos seres humanos,  moldáveis pelo tempo e pelas circunstâncias.




De novo?! Minha cabeça gira... é sério, sem frescura. Tudo o que eu mais considerava em minha vida, hoje já não serve, quero mais. É como se os próximos dias, meses e anos, fossem um livro cheio de folhas em branco, pronto para ser escrito, preenchido de coisas novas, bonitas ou feias, mas NOVAS. 




E sabe o que é mais esquisito? É que fiz amigos. Finalmente, depois de tanto tempo..poderia reclamar, algo do tipo: " Mas só agora que está saindo da escola é que faz amigos?!", mas não vou, me recuso. Quero pensar no que conquistei, no que aprendi. E fazer muito mais!


O jogo começa agora.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Perspectivas de uma blogueira frustrada

Oi. Então..., nesse blog, a "escritora" que vos fala, já discorreu sobre bastantes assuntos, como: artes,música, política, dor de cotovelo, dor de barriga, saudade, solidão, e por aí vai. Até aí nada de anormal para um blog de uma adolescente que ninguém leva a sério, sequer lê. Aliás, o blogueiro hoje em dia (na verdade acho que sempre foi assim), é o nerd solitário e retardado que fica em casa escrevendo, desabando suas mágoas em uma coisa que poucas pessoas lerão, digitando com a mão engordurada de salgadinho. Pelo menos essa a impressão que me é passada, diante dos comentários alheios, das pessoas descoladas.




Nunca fui o que se pode chamar de "descolado" e muito menos "popular". Até uma certa época (e foi difícil), me importava demais com isso, me sentia inferior aos outros, e principalmente às meninas que faziam sucesso com os meninos na escola. Me sentia uma espécie de monstrinho sem nome, sei lá, uma desengonçada, a qual os populares só procuravam para pedir favores, do tipo: "E aí, vamos fazer esse trabalho em GRUPO?", ou então: "Ai, você é tão legal... me empresta sua tarefa para eu copiar?".SEMPRE, EU DIGO, SEMPRE FOI ASSIM! E se vocês pensam que eu era justa comigo mesma e negava esses favores solicitados, enganam-se redondamente. Eu era trouxa.




O tempo passou, e eu, FELIZMENTE, consegui, com muito custo, fazer amigos verdadeiros, dentre os quais situam-se também os livros. Não sei o que seria de mim, em uma tarde ociosa das férias de junho, enquanto todos os meus não mais que cinco amigos estivessem viajando, se não fosse um livro para me inserir em seu mundo, seu universo um pouco melhor que o meu. Consolo.




Hoje em dia cresci. Não me importo nem um pouco e até que gosto de não ser igual às pessoas da minha idade, da minha escola. Seria muito tedioso... e fácil. Ainda bem que deixei algumas coisas para trás, mas ainda não sou adulta, nem madura o suficiente. Só o tempo pode mudar isso.
Apenas vos digo uma coisa:sejam vocês mesmos, em hipótese alguma copiem a outros que mal sabem do que estão falando. Digam tudo o que tem de ser dito. Não acovardem-se!


P.S.- o objetivo deste texto não era o de igualar-se a um livro de auto-ajuda. Por favor, leia-o com outra visão.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Quem sabe um dia...

Já não sei o que me espera.
O incerto é a palavra,
é o certo.


Em meio ao meu comodismo hipócrita
desacomodo-me.
O desconforto é que me move.
Obrigada desconforto!


A mente é algo tão misterioso e confuso...
Não merece sequer,vã tentativa de explicação.
Tudo é vago, tudo é raso.


Que amizade é essa que vem do teu medo?
Que saudade é essa, tão ignorante?
Não me canso de pedir explicações,
ainda não aprendi.


Quem sabe um dia...

domingo, 11 de setembro de 2011

Os piores sentimentos que existem são: saudade e solidão. No momento, sinto os dois. Passei a semana bem, com meus colegas de sala, mas chega o fim de semana, não sei porque, mas esses dois sentimentos abomináveis tomam conta de mim.


Sinto saudades de outros tempos, dias melhores, em que minha cabeça não era um turbilhão de confusões, pensamentos e teorias. Me sinto só porque nos lugares onde vou, parece que nao me identifico com ninguém, não consigo me enturmar com as pessoas, não me sinto parte de algo.


Sei lá, eu detesto gente deprimida, que reclama de barriga cheia e que parece que a vida é um martírio, mas (desculpem se por um acaso vocês comungam da mesma opinião) eu estou usando esse blog para poder desabafar, coisa que eu faço raramente. Se estou fazendo agora, é porque estou a ponto de explodir, de verdade.


Esse post está uma droga,sei que ninguém vai ler,mas, mesmo assim, deixo aqui meu sentimento de confusão - mais que tudo - e de SOLIDÃO.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Você.

Você. O que dizer de você?     Já nem sei.


Essa sua insensatez me tira do sério. Sabe o que mais me tira do sério? É a MINHA ENORME INSENSATEZ  em ainda me preocupar com a sua. Devia estar nem aí! ... Pois não estou.
Veja bem, nem é sua culpa ... na verdade a culpa é todinha minha.
Eu precisava achar uma maneira, eu precisava achar uma maneira, eu precisava achar uma maneira, eu precisava achar uma, eu precisava achar, eu precisava, eu precis.., eu p..., eu..., e...,.
A resposta é tão óbvia e ao mesmo tempo tão impossível de ser lida, interpretada ... pelo menos por mim.
Me diga você o que te move. Me responda apenas o que estou te perguntando e mais nada! ME RESPONDA!
 


Obs: esse post ficou curto, o que demonstra todo o meu cansaço e minha instisfação com determinadas situações. Peço desculpas para quem esperava um texto extenso.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Arrogância

Eu odeio pessoas arrogantes
Tenho asco, repudio sua essência
Talvez eu faça parte desse grupo seleto de ignorantes
Talvez por isso eu os odeie tanto.

domingo, 7 de agosto de 2011

Não se engane

Quem disse que no Brasil não tem artista de qualidade? Realmente, os que estão na mídia e são aclamados pela massa populacional são em sua maioria de ridícula qualidade. Confesso que até pouco tempo atrás eu também achava isso, sério mesmo, pensava que há tempos já não havia artistas bons aqui no Brasil ... mas me enganei. 


Comecei a pesquisar, e achei umas coisas bem legais no cenário underground nacional que merecem atenção, como por exemplo: E.M.I.C.I.D.A, Criolo, Móveis Coloniais de Acaju, Vivendo do Ócio, China, Os azuis, e por aí vai, a lista é longa. Mas infelizmente, a maioria das pessoas não sabe nem da existência desses artistas, justamente por causa do anti-incentivo à cultura no Brasil.


Para mim, dentre os artistas acima citados, o que merece destaque é o Emicida, que descobri faz pouco tempo, mas logo adorei a música, o ritmo, as rimas, os temas e o jeito com que esse cara faz rap. Quem tiver tempo, por favor pesquise sobre ele, vale a pena. Vou deixar alguns links aqui:




Vivendo do Ócio:



Os Azuis:




Criolo:




Móveis Coloniais de Acaju:
http://www.youtube.com/watch?v=NUlbPAzKFFo 
http://www.youtube.com/watch?v=NUlbPAzKFFo 



China:
http://www.youtube.com/watch?v=9wWRz9OqdNI



É isso aí, e tem muito mais para pesquisar. Não estou brigando com quem pensa que atualmente não há mais artistas brasileiros bons, não. Só estou querendo, para ajudar, atentar os olhos dessas pessoas para coisas muitos boas que estão surgindo no cenário nacional. Espero que gostem!




Abraços :)   





domingo, 31 de julho de 2011

Turbilhão

Bom, as férias acabaram. E o mais impressionante que acontece na minha vida todas as vezes em que eu entro de férias, é a crise geral. É verdade, não sei o que acontece, eu entro em paranóia. Na realidade eu acho que tem muito a ver com a falta de ocupação ... provavelmente você já ouviu aquela expressão: "Cabeça vazia é oficina do diabo!". Mas, eu acho que essa frase não se encaixa muito bem à minha situação, porque a minha cabeça nunca está vazia, pelo contrário, ela é tão cheia de coisas e confusões e anseios, que mal consigo organizar meus pensamentos. Minha cabeça é um verdadeiro turbilhão.




Como sempre fui a "nerd" da sala (apesar de não gostar de star wars, nem saber mexer super bem em computadores), nunca fui popular, e meus amigos eu conto nos dedos. Só, que ao contrário de mim, minhas amigas e amigos possuem vida social, o que faz com que eles não estejam 100% à minha disposição 24 horas por dia. O que acarreta o início da minha "crise". Nem sei se eu posso chamar isso de crise, porque é ridículo. Mas enfim ...




Começo a me sentir sozinha, pensar que não tenho amigos, falar sozinha no banheiro pra ver se a solidão passa, escrever no blog ... Ah, que coisa inútil para a vida do meu caro leitor (e acredite, você é querido para mim, já que este blog não passa de 4 visitas diárias).




Apesar de ter profundo ódio pela palavra ROTINA, eu meio que estou dando graças a Deus que ela finalmente vai voltar, para que eu afunde minha cara nos livros e esqueça um pouco a minha ausência das saídas, das distrações, do ar puro, enfim, da vida social essencial a um ser humano.


Até mais.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Expovisual!


Convido a todos (claro, os que moram aqui em São Carlos) para visitarem essa exposição que vai ser demais!

P.S.: tem desenhos meus lá também :)

Abraços.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

HIPOCRISIA

Fico impressionada em ver como as pessoas se aproveitam de certas situações. Todos sabem da recente morte da Amy Winehouse, e mais que de repente todo mundo virou fã, sabe as letras, as traduções, e nas rodas de conversa tem a língua afiada para contar a vida toda da cantora de cabo a rabo. Bibliografia instantânea, pior que wikipédia.


Sempre gostei de suas canções, sempre vi algo de especial nelas, algo que não havia nas outras, e realmente fiquei triste e chateada com essa ocorrência. Mas por favor, gente bonita da tv: Parem de fingir o mesmo, ok? Parem, globais e sua corja, de mostrar consternação pelo acontecimento, parem de derramar lágrimas sofríveis de crocodilo!


Acho que a hipocrisia nunca vai deixar de existir.



É verdade, aquele artista tão louvado outrora por sua morte (e vocês sabem de quem eu estou falando) já está caindo no esquecimento da massa, dando lugar à outra que se foi recentemente. Venderá "toneladas" de discos, camisetas, bonequinhas, e tudo o que carregar seu nome, sua marca, e quem se aproveitará disso? Não é segredo para ninguém ...


A HIPOCRISIA nunca vai deixar de existir.


Paz. 

terça-feira, 19 de julho de 2011

Meus devaneios ...

O teu incerto é meu maior pesadelo. A tua dúvida, para você meio irrelevante, é para mim eterna e digna de indagações. Porém, sinto que essas indagações de nada servem, pois elas estão apenas presas na minha mente e nos meus impulsos nervosos, sem direção.


Transcorrer os limites imaginários, fazer finalmente parte do que é real e palpável ... meio difícil. Até porque está tudo tão confuso quanto sempre foi, e pelo visto sempre será. Sonho, imagino, penso, percorro os mais longíncuos cantos da minha mente, tentando encontrar uma resposta, uma certa racionalidade nisso tudo. Só que parece que eu ainda não entendi que a vida não é racionalidade, é justamente o contrário. É a ausência da mesma, é a falta de sentido que faz da vida uma questão mal resolvida, e sem resposta certa, sem fórmula.



Aprendi com a solidão. Aprendi na solidão. Com ela e por ela é que me movo e paro para pensar em tudo, em nada. Aprendi a viver na solidão, me adaptei. Sei lá, parece que o ser humano é capaz de se adaptar a quase qualquer tipo de situação. Não digo que é tudo lindo, 100% perfeito. Claro que não, e espero que um dia eu possa dizer isso a alguém ao invés de ter de me expresar, num ato desesperado, pelo meu blog, pelos meus escritos. "Sempre precisei de um pouco de atenção", já dizia Renato Russo. Mas também sempre precisei de um pouco de solidão. É. Ela mesma. A tão temida SOLIDÃO. Pois é, né. Cada um com a sua loucura. Mas se parar para pensar, até que faz um certo sentido. Vai dizer que nunca teve aquele momento em que estava rodeado de gente, enquanto seu verdadeiro desejo seria estar sozinho, respirando, aspirando melhora, respostas. É assim que me sinto. De verdade.



 Em meio a tanta besteira (você deve estar pensando), deve haver uma certa racionalidade, não? Não se engane, pois não há. E essa é a maior certeza da vida. A certeza de que não há CERTEZA ALGUMA.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Esses dentistas . . .

Titinha feita por mim (não tenho scanner, então a resolução não ficou muito boa, mas valeu a intenção)


Por favor, comentem!

Até mais.

terça-feira, 5 de julho de 2011

Conceitos tortos

Você se sente feio(a)? Busca incessantemente um padrão de beleza inalcansável? Admira os símbolos de beleza e perfeição nas mídias (TV, revistas, internet, etc), com seus dentes branquíssimos, cabelos maravilhosos e corpos esculturais e bronzeados, e realmente, ao olhar-se no espelho, sente-se muito feio? 

Bobagem.



E sabe porque é pura bobagem e ilusão? Porque essas pessoas não existem. Elas são de mentira, superficiais, foram milimetricamente construídas pelas instituições que lucram em cima da venda de seus corpos. Quem disse que você é feio? Não acredite nessa pessoa, porque certamente o conceito dela de beleza está muio torto e limitado.



É claro que você é bonito(a), com seus cabelos lisos ou crespos, loiros, morenos, pretos, ruivos ou até mesmo azuis, com sua pele clara ou bronzeada, com seus dentes retinhos, separados ou levemente tortos. Você é bonito e admirável apenas por um motivo: porque é DIFERENTE.


Lembre-se disso, você é diferente e único e isso é o mais legal nas relações sociais. Acredite em mim, isso é muito legal, pois são as diferenças que fazem de você ou de mim pessoas interessantes, instigantes, investigáveis, onde sentimentos, opiniões e características estão prontos a serem explorados e desvendados.



Não se importe com as pessoas sintéticas criadas pela mídia. Elas NÃO EXISTEM.



Seja você que será certa a sua FELICIDADE.

sábado, 2 de julho de 2011

Mas sigo querendo a PAZ

Estou cansada. Cansada de tanta discussão por coisas tão bobas ... Tanta intolerância e falta de respeito. Por que você não fica na sua ao invés de apontar o dedo para o outro que está ao seu lado? Por que faz isso? 

Gostaria de entender.


Tenho um ideal de sociedade que jamais existirá. É tão sonho, e sei que esse sonho jamais passará do plano do sonho para o plano da realidade. Nessa sociedade, pessoas conviveriam harmoniosamente, falariam a verdade, e o principal: seriam elas mesmas. Fico muito triste por uma pessoa querer apenas ser o que é, o que sempre foi e sempre será (pelo menos por dentro) e não poder. Ou então, é totalmente zombada por conta disso.


Sei que ao expressar essa minha revolta nada vai mudar, mas pelo menos posso compartilhar minha opinião com as outras pessoas que lêem esse blog. Sei que muitas delas comungam da mesma ideia. Me sinto mais aliviada desse jeito.


Sigo querendo a paz e mais nada. Vamos por favor parar com essas briguinhas ridículas, com essa incapacidade de discutir os temas ditos mais "polêmicos", vamos apenas dialogar. Qual o sentido do não-diálogo? As palavras hoje são apenas usadas para atingir e xingar o outro, e não para chegarmos possivelmente a um acordo. Ah ... por que estou dizendo tudo isso? Não vai adiantar nada.

Só tenho uma coisa a dizer: estou DESANIMADA.


Mas sigo querendo a PAZ.



domingo, 19 de junho de 2011

VOZ

Provavelmente você já está sabendo do que os bombeiros do Rio têm passado, e se você não sabe, sugiro que se informe um pouco mais. Estava falando sobre isso com uma pessoa, e ela me disse o seguinte: "Mas é contra a lei que bombeiros, policiais, etc., façam greves e manifestações deste feitio". Ao ouvir isso, fiquei impressionada com a falta de liberdade que as pessoas têm de expressar suas opiniões e revindicar suas necessidades, em um país que se diz democrático.


E não é apenas com eles que acontece isso não, pois muitos outros grupos lutam por seus direitos e lutam para ter voz. Muitas vezes, na escola onde estudo, eu e meus colegas fomos obrigados a aceitar certas situações no melhor estilo ditadura. Não sou do tipo de aluna que apronta e depois acha que está certa não. 


Tenho o maior respeito pelos meus professores, e gosto de estudar, de saber e me informar. Porém, há certas vezes em que precisamos engolir cada sapo. . . Já houve manifestações na minha escola, onde reivindicamos a não saída de dois professores queridos por nós, aos quais não foi conferido um motivo plausível para sua demissão. 


Saímos todos das salas, erguendo cartazes e cantando nossas preferências, e o resultado foi: não só a demissão dos professores, mas também um longo sermão e um castigo para todos que tivessem participado de tal "ato rebelde".



Estava andando ontem no centro da minha cidade, São Carlos-SP, e um cara me deu um panfleto a respeito de uma marcha que iria ocorrer no mesmo dia em prol da liberdade de expressão. Gostei bastante da ideia, e me dispus a ir e a defender que cada um possa ao menos abrir a boca para dizer o que sente. Porém, infelizmente, (e fiquei triste mesmo, pois isso nunca ocorre na minha cidade) não pude participar por motivos maiores. Mas não deixo de divulgar e de incentivar que se faça isso cada vez mais, e se você tem vontade de promover algo assim, chame seus amigos, colegas e conhecidos, que compartilhem da mesma opinião que você e use da internet para tal divulgação. Nessas horas, ela é uma ótima ferramente a ser explorada.



Não tenho uma opinião formada a respeito da liberação das drogas, mas achei muito importante o governo ter permitido que esses dias ocorresse a marcha da maconha, pois assim como todos que não são a favor podem se expressar, os que são também podem, porque uma coisa é deixar que as pessoas tenham opiniões diversas, e outra bem diferente é conceder o que pedem. Precisamos nos respeitar e nos ouvir!


E faço questão de deixar meus parabéns e meu respeito a todos que lutam pelo RESPEITO e pela VOZ.

terça-feira, 31 de maio de 2011

Pense nisso

Ando muitos dias sem inspiração para escrever neste blog. Mas percebo agora, que a minha falta de inspiração é que se tornou algo que eu pudesse mencionar aqui mesmo. Por quê? Ninguém sabe. Quando bate o bloqueio, nada adianta, nada resolve. Acho que minha vida, nesses últimos tempos, se transformou em algo tão metódico e rotineiro, que o TÉDIO tomou conta. DETESTO o tédio! Ele é o inimigo da criatividade, da inspiração, da liberdade. Ainda se a rotina conter algo de que goste, tudo bem, é metódico, mas pelo menos é prazerozo. Porém, quando algo insuportavelmente chato aos seus olhos toma lugar, em sua vida, de algo de suma importância para sua existência, ai ... aí é para se preocupar. Quais são suas prioridades? Elas realmente valem para você?


Tenho pensado muito ultimamente nessa questão. Será que estou priorizando o que realmente é importante? Não sei. Gostaria de fazer tantas coisas, que às vezes acho que não poderia realizar nenhuma delas. Sabe quando tua fome de conhecimento e experiências é tão grande que não sabe como saciá-la, por onde começar? Então, estou assim.


Bem, por um lado acho que isso é bom, mas minha cabeça é confusa demais. Se você é tranquilo, e sabe organizar seus pensamentos e divagações de maneira linear e clara, MEUS PARABÉNS!  Mas se você é como eu, confuso que nem ao menos consegue se entender às vezes, sabe do que estou falando.
Sei, que sendo bastante raro, ainda há pessoas que buscam conhecimento, é verdade. Precisamos nos unir contra a mediocridade. Não que eu seja nenhum gênio, só gostaria de me aprimorar em muitas coisas, e  aprender sobre muitos assuntos, os quais considero relevantes. É que isso se tornou tão raro hoje em dia, que me sinto uma total estranha. Mas enfim ... fazer o quê?


Também há artistas que ainda preservam sua identidade, em meio a tantos rostos e vozes iguais. Um exemplo (sempre cito aqui no blog) é o Tico Santa Cruz, vocalista do Detonautas Roque Clube, cujo blog eu adoro, e recomendo a todos: http://bloglog.globo.com/ticosantacruz/


Dêem uma ollhada na letra de uma de suas músicas "Ensaio sobre a cegueira", inspirada em Saramago. Ouçam, muito boa! : http://www.youtube.com/watch?v=Zv04_cBuFy8


Só deixo, por fim, uma questão pendente: Você está sendo você mesmo, e priorizando o que é realmente importante? Pense nisso.

Até.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Refúgio em meu deserto mental

Retorno de um longo deserto mental. Peço ao leitor minhas sinceras desculpas pela ausência desmedida. É que realmente não tive tempo algum. Os segundos, os minutos, as horas e os dias escorrem pelas minhas mãos. Porém, prometo me esforçar ao máximo para manter a atualização deste blog. Enjoy!




A televisão é uma máquina emburrecedora. Há tempos que a não prestigio da mesma maneira que o fazia. Isso porque o meu cérebro já estava tomado pelas suas babaquices.




Após a minha brilhante descoberta a respeito da verdadeira função dessa "janelinha mágica", meus olhos já não a contemplam com a mesma reverência. A causa de tal efeito, é a abertura da mente. Não digo que minha abstinência é total (estaria sendo ridiculamente hipócrita se o fizesse), mas partiu de mim, há pouco tempo (mais ou menos 1 ano), a ideia de ligá-la apenas nas horas úteis, relevantes, de entretenimento, é claro, mas entretenimento de qualidade.






Descarto de minha lista televisiva toda e qualquer novela e telejornal. Contudo, destaco dentre meus programas favoritos: "Comédia MTV", "Adnet ao vivo", "CQC", "A liga", "Todo mundo odeia o Chris", "Quinta Categoria" e "De frente com Gabi". Recomendo-os ao meu caro leitor.




Gostava muito também dos programas: "Lobotomia" e "MTV Debate", que foram cancelados após a saída do Lobão da emissora (infelizmente, pois é uma das poucas pessoas que tem a coragem de falar a verdade sem rodeios).




Enfim, deixo impregnada à este texto, minha crítica à televisão brasileira (em geral), expressando toda minha insatisfação com o papel medíocre que a mesma cumpre (com raríssimas exceções, é claro): a de MANIPULAR.

Retorno das cinzas

O pior é que sempre digo isso. E sempre, após prometer ao leitor, de na próxima vez me esforçar mais para uma postagem mais frequente, passo semanas sem escrever. Desculpem! De verdade, não prometo mais tais coisas, porque sei que talvez não poderei cumprí-las. Então, o que me cabe é postar um novo artigo quando houver tempo e inspiração. A única coisa que prometo (e sei que cumprirei!), é que não cessarei a atualização do blog, mesmo que esta demore longas semanas. É o que é.


Quero falar hoje a respeito de uma banda recém descoberta por mim, e que achei que seria um assunto relevante para o divagações. Trata-se da banda de indie rock, The Troniks, muito inspirada e de claras influências de Strokes, Arctic Monkeys, etc. Para a grande SURPRESA do leitor (e me refiro de maneira irônica) os membros da banda são os mesmos membros de outra, à qual já me referi inúmeras vezes ao longo das postagens deste humilde blog, o Beetles One. É isso mesmo, pra quem não teve a oportunidade de ler nenhuma das postagens referentes à banda sãocarlense cover dos Beatles, seus integrantes são: Cléber, Renato, Carlos e Wesley, e para mim, até pouco tempo atrás, os caras não tinham nenhuma outra banda. Porém, tive uma surpresa ao me deparar com um som muito interessante, durante uma das minhas fuçadas pelo myspace.